Sem mostrar dados, Doria diz que criou 20 vezes mais vagas em creche que Haddad

0
202


Doria tem uma preocupação especial em apresentar resultados dessa área, já que prometeu zerar a fila de vagas em creches criando 65 mil vagas até março de 2018.
Por Rodrigo Gomes – Rede Brasil Atual
No dia 13 de setembro, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), publicou em suas redes sociais que seu governo criou 7.139 vagas em creche até agosto deste ano. O número seria 20 vezes maior que o realizado pela gestão de Fernando Haddad (PT) durante todo o primeiro ano de mandato do petista (2013). Segundo Doria, seu antecessor criou apenas 343 vagas. A RBA utilizou os dados disponíveis na página de dados abertos da Secretaria Municipal da Educação – Pátio Digital – para conferir o comparativo, mas não há dados disponíveis para chegar a tal conclusão. A secretaria não respondeu aos pedidos à reportagem para esclarecer o cálculo.
RBA solicitou, no dia 15 de setembro, os dados atualizados de matrículas, os dados utilizados para comparação e informações sobre a falta de atualização do site Pátio Digital. Desde 2012 os dados vinham sendo atualizados mês a mês. O último dado inserido pela atual gestão é de 30 de abril deste ano. Após 12 dias de tentativas, a secretaria não respondeu a nenhum dos questionamentos.
Doria tem uma preocupação especial em apresentar resultados dessa área, já que prometeu zerar a fila de vagas em creches criando 65 mil vagas até março de 2018. O dado mais recente indica 104 mil crianças na fila de espera por vaga, 20% acima da meta. Como estratégia para atingir esse número, o prefeito já determinou o fechamento de salas de atividades, brinquedotecas e salas de informática, e está reduzindo o atendimento em período integral das escolas.
A gestão Doria também não informa quais dados comparou para chegar a 343 vagas criadas pela gestão Haddad. Muito menos qual o número atual de matrículas efetivadas para comprovar a criação de 7.139 vagas. O principal problema é que os dados de matrículas variam muito em certos períodos do ano. Se fossem cruzadas as informações de 27 de dezembro de 2012 – último dado disponível da gestão de Gilberto Kassab (PSD) – com as de 31 de dezembro de 2013 o resultado seria 366 vagas criadas. Porém, se tivesse comparado 1º de janeiro de 2013 com 31 de dezembro do mesmo ano, o resultado teria sido 32 mil vagas.
No entanto, nenhuma dessas comparações pode ser considerada correta, conforme explicou o ex-secretário da Educação da gestão Haddad, Cesar Callegari. “Existem muitas formas de se ler os dados. O problema é que as matrículas efetivadas caem muito no final do ano, quando as crianças passam para outros níveis de ensino. E sobem muito entre o final de janeiro e o começo de fevereiro, quando as aulas começam. Além disso, o número de vagas não é exatamente o mesmo número de matrículas. Então, é difícil comparar desse modo”, explicou.
A forma mais justa de realizar a comparação é pegar o momento com o maior número de matrículas de cada ano. Nesse caso, é preciso comparar o dado de novembro de 2012 (214.094) com novembro de 2013 (214.516). A diferença é de 422 matrículas a mais. “No primeiro ano, tivemos muita dificuldade com a revisão de convênios. Havia entidades que não tinham condições de atender as crianças com qualidade ou segurança. Fizemos um grande processo de adequação, que resultou em pouca criação de vagas, mas em atendimento adequado das crianças”, explicou Callegari.
No ano seguinte houve um salto no número de novas matrículas. Em 31 de dezembro de 2014, a gestão Haddad registrava 228.204 matrículas, 13.688 a mais do que havia em 2013. Em dezembro de 2015, o número de matrículas chegou a 260.785, um acréscimo de 32.581 vagas. E em novembro de 2016, o número chegou a 284.455 matrículas, aumentando em 23.670 matrículas sobre 2015.
No total, em quatro anos, a gestão Haddad efetivou 70.361 novas matrículas em creche, comparando com o maior número de matrículas da gestão Kassab. “O que importa é que não se interrompa a abertura de vagas em creches. Zerar não é possível porque todo dia nasce criança e o próprio projeto pedagógico da creche não permite que se faça matrícula a qualquer tempo. Por isso temos muitas matrículas novas no começo do ano e aumento da fila ao longo do ano”, concluiu Callegari.
Na manhã desta quinta-feira (28), a Secretaria Municipal da Educação contatou a RBA para informar que o cálculo de ter criado vinte vezes mais vagas foi feito com base em dados apresentados pela gestão anterior a uma reportagem do Jornal O Estado de São Paulo. E minimizou o dado incorreto na postagem do prefeito, que trazia o dado de 343 vagas criadas. “Vagas criadas em 2013: 366 (diferença de matrículas entre 31/12/2013 e 31/12/2012). Vagas criadas em 2017 – 7.139 (criadas desde dezembro de 2016 até agora). Portanto, 7.139/366 = 19,6 (aprox. 20 vezes)”.
Porém, a gestão ainda não informou qual o número de matrículas efetivas no município atualmente.

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here