PT quer discutir casos de suicídio entre policiais

0
87

 

Campanha Setembro Amarelo visa conscientizar a prevenção ao suicídio — Foto: Campanha Nacional/Divulgação

Na reunião da Comissão de Segurança Pública da Câmara Municipal de São Paulo desta quinta feira (26) o Vereador Reis (PT) aprovou requerimento propondo audiência pública para debater o aumento do índice de suicídios entre policiais civis, militares e integrantes da Guarda Civil Metropolitana. Serão convidados representantes das diferentes forças policiais para um debate sobre o tema na próxima reunião da Comissão.

De acordo com dados da Ouvidoria, o número de suicídios supera hoje o de policiais mortos em confrontos, mostrando ser fundamental a elaboração de um plano de assistência à saúde mental dos agentes. A iniciativa ganha ainda mais relevância por estar em vigência o “Setembro Amarelo”, campanha de combate ao suicídio e conscientização sobre saúde mental no trabalho.

Além da aprovação do requerimento, o vereador petista denunciou logo no início da reunião  desta quinta a precarização pela qual vem passando a Polícia Civil na gestão tucana à frente do governo estadual. Em resposta a um requerimento também elaborado por Reis, a Delegacia Geral da Polícia Civil de São Paulo reconheceu que existem atualmente 10 mil cargos vagos na corporação. São, por exemplo, mais de 800 delegados faltantes e um déficit de mais de 3 mil investigadores, trazendo grandes prejuízos à população.

A sessão contou ainda com a presença de Vagner Urias, Gerente Executivo Técnico do COREN — Conselho Regional de Enfermagem. Ele apontou para os casos de violência sofridos pelos profissionais de saúde do município. Isso seria reflexo também do descaso do poder público municipal com todo o sistema de saúde. Segundo Urias, os profissionais tem sofrido com o aumento em problemas psicológicos. O Vereador Reis solicitou que as notas da transcrição da fala do convidado fossem enviadas junto aos dados por ele trazidos para o Prefeito Bruno Covas.

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here