No Conpresp, Alfredinho defende preservação da Praça Vilaboim

0
924
Foto: Pinterest

O vereador Alfredinho participou, na última segunda-feira, 9, da reunião do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). O órgão se reuniu para deliberar sobre a mudança das regras estabelecidas na ocasião do tombamento da Praça Vilaboim, no bairro de Higienópolis.

O parlamentar, que é suplente da vereadora Adriana Ramalho (PSDB), que está de licença médica, assumiu a representação da Câmara Municipal no Conselho, e colaborou para a manutenção das condições de preservação, revertendo a decisão que mudaria as regras, somando seu voto aos demais conselheiros – que decidiram por oito votos contra um.

O tombamento da Praça Vilaboim ocorreu no ano de 2007, estabelecendo regras de ocupação dos lotes do entorno da praça. Em um desses lotes, localizado ao lado do Edifício Louveira, imóvel tombado em frente à praça Vilaboim, com projeto de autoria do arquiteto Vilanova Artigas, importante exemplar da arquitetura moderna, foi estabelecido como limite de altura da construção.

Em 2019, o Conselho recebeu proposta de revisão do tombamento da Praça Vilaboim, alterando o limite de altura estabelecido para o lote vizinho ao edifício Louveira, permitindo que ali fosse construído um edifício. Mesmo não havendo nenhum fato novo que justificasse a retomada da discussão, o Conpresp acatou a proposta colocando-a em discussão e aprovação.

Aprovada a liberação da restrição anteriormente imposta, beneficiando exclusivamente o lote vizinho ao edifício Louveira, diversas manifestações de moradores, arquitetos e associações aconteceram, culminando com recurso apresentado pelo vereador Gilberto Natalini (PV), contestando a decisão do órgão.

Assim, a mobilização da sociedade civil, argumentando em defesa da decisão tomada pelo conselho na ocasião da edição da resolução de tombamento, teve papel decisivo para preservação das regras estabelecidas.

Esta sucessão de acontecimentos chama atenção sobre a atuação da atual gestão do Conpresp, órgão responsável pela manutenção do patrimônio histórico, cultural e ambiental da cidade. Recentemente o colegiado rediscutiu uma resolução de tombamento no bairro do Ipiranga, sem que houvesse qualquer fato novo de interesse público que justificasse mudança na discussão, atendendo o interesse de um único proprietário.

Na mesma reunião foi discutida a aprovação de resolução em favor da preservação de área denominada Chácara das Jaboticabeiras, na Vila Mariana, que contou com o voto favorável do vereador Alfredinho.

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here