Home Notícias Geral Chacina no Guarujá: Número de mortos sobe para 13

Chacina no Guarujá: Número de mortos sobe para 13

0
Chacina no Guarujá: Número de mortos sobe para 13

NOTA DE REPÚDIO – BANCADA DO PT

A Bancada do Partido dos Trabalhadores da Câmara Municipal de São Paulo, em consonância com o compromisso do partido para com a defesa dos direitos humanos,  repudia publicamente a chacina promovida pelo governador genocida Tarcísio de Freitas no Guarujá, litoral de São Paulo.

Após o assassinato de Patrick Bastos Reis e ferimento de Fabiano Oliveira Marin Alfaya – ambos policiais da Rota – no dia 27 de julho na comunidade Vila Zilda, Guarujá, o Governo Tarcísio de Freitas instaurou uma operação policial buscando, supostamente, prender os responsáveis.

Primeiro, queremos manifestar a nossa solidariedade à família, amigos e aos colegas do soldado da Rota morto, Patrick Bastos Reis, de 30 anos, bem como externalizar o anseio de que a justiça seja feita por meios legais.

Nada justifica, porém, o que tem sido visto nos últimos dias: uma matança indiscriminada promovida pela Polícia Militar nas comunidades do Guarujá, mostrando que a resposta oficial do Estado de São Paulo não foi a justiça, mas sim a vingança por meios ilegais e cruéis.

Na última hora, a imprensa noticiou que subiu para 13 o número de mortos confirmados pela Secretaria de Segurança Pública. Entre os mortos, foi confirmada a identidade de apenas dois deles, sendo um vendedor ambulante de 30 anos, pai de uma criança de 6 anos, e um homem diagnosticado com esquizofrenia, de 46. Há relatos, ainda, de que um dos mortos foi torturado pelos policiais. Os especialistas avaliam que a operação foi realizada em tom de vingança.

Em completa afronta à Constituição Federal, aos direitos humanos, ao conceito de justiça e ao papel da Polícia Militar, esta se posicionou acima da Lei e optou pela vingança em vez da justiça. A crueldade ainda ficou demonstrada pela postura de PMs que, por meio das redes sociais, utilizaram um “placar” de mortes para contabilizar os assassinatos de civis, como se estivessem em um jogo.

Tarcísio de Freitas, por sua vez, manifestou-se publicamente apoiando a absurda ação policial, dizendo “estar extremamente satisfeito” com a ação da polícia, que “não houve hostilidade, não houve excesso” e que “houve uma atuação profissional”. Ainda, rejeitou os relatos dos moradores, que chamou de “narrativas”, disse que a operação continuará na Baixada Santista, e que este foi apenas o primeiro passo.

Apesar das falas em apoio à chacina vindas de um Governador de Estado assustarem, não surpreendem. Seguindo os passos de seu padrinho político, Jair Bolsonaro, o governador nos choca com tamanha frieza, crueldade e irresponsabilidade.

O governador Tarcísio congelou o uso de câmeras em uniformes de policiais, mostrando que, em vez de trilhar o caminho da investigação e promoção da justiça, optou por usar a força de maneira desproporcional, ceifando vidas de forma indiscriminada.

Com atualizações constantes sobre o número de mortes, é devastador saber que moradores relataram à ouvidoria da polícia que ouviram de policiais a promessa de matar pelo menos 60 pessoas das comunidades locais.

Sem contar as mortes da chacina do Guarujá, no primeiro semestre do governo Tarcísio, as mortes em consequência de intervenção policial subiram 26% com relação ao mesmo período do ano passado.

Vale ressaltar que a quantidade de pessoas mortas em uma única operação policial, no fim de semana, representa a metade de todos os mortos pela Polícia Militar de São Paulo na Baixada Santista no 1º semestre de 2023.

Não podemos aceitar que o Estado de São Paulo seja guiado por vingança.

São Paulo, 01 de agosto de 2023

Bancada do PT da Câmara de São Paulo

Vereador Senival Moura – Líder
Vereadora Luna Zarattini
Vereador Alessandro Guedes
Vereador Arselino Tatto
Vereador Hélio Rodrigues
Vereador Jair Tatto
Vereador João Ananias
Vereador Manoel Del Rio

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Fale com a gente