Dória inicia seu mandato implementando a Bolsa-Mídia

0
896

O jornal Agora São Paulo desta terça-feira (10), traz uma matéria sobre ação publicitária do programa Cidade Linda nos pontos de ônibus e relógios de rua da Capital. De acordo com a Prefeitura foram veiculados 50 cartazes nos relógios públicos e 34 nos pontos de ônibus e a reportagem identificou que ao menos 11 dos 14 pontos de ônibus existentes nos dois sentidos da avenida Paulista estão tomados pelos anúncios.
Apesar da gestão tucana afirmar que a propaganda não teve custos para a administração, a agência Lua, que doou as artes dos painéis dos relógios de rua, é contratada da Prefeitura e de 2007 a 2016 recebeu mais de meio bilhão de reais em recursos públicos – em valores nominais, ou seja, sem a correção da inflação no período.
A Ótima e JC Decaux, por sua vez, são concessionárias da exploração publicitária do mobiliário urbano, a primeira nos pontos de ônibus e a segunda nos relógios de rua. O contrato de concessão, firmado em 2012 e que vai até 2037, prevê a destinação de área de publicidade para mensagens institucionais e campanhas da prefeitura.
O prefeito João Doria Jr. disputou as eleições municipais apostando no marketing pessoal e tem reproduzido a tática nestes primeiros dias de gestão, convocando a imprensa para acompanhar suas ações, muitas delas com forte apelo midiático, como as agendas fantasiado de gari e o anúncio, em coletiva, do emprego para o irmão do camelô Luís Carlos Ruas.
Além disso, um estudo elaborado pela assessoria da Liderança do PT na Câmara Municipal de São Paulo aponta que o prefeito João Doria Jr. vai iniciar sua gestão com valor recorde para gastos com publicidade. O recurso à disposição do prefeito tucano é 156,8% superior em relação ao fixado no orçamento anterior (R$ 111,4 milhões) e de 125,1% maior em relação à média gasta na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (R$ 127 milhões).
O Projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA-2017) encaminhado à Câmara por Haddad previa R$ 86 milhões para gastos com publicidade. Entretanto, a equipe de transição do prefeito atuou diretamente junto à base de apoio do governo atual, para ampliar a rubrica. Na primeira votação o valor chegou a R$ 286 milhões para publicações de interesse do município e a repercussão negativa fez com que os R$ 200 milhões excedentes fossem redirecionados para ações de educação no trânsito.
De acordo com o documento elaborado pela Liderança do PT na Câmara Municipal, a maior redução de gastos ocorreu na gestão Haddad, com queda de 36,5% dos recursos liquidados em relação à gestão anterior. A gestão Serra/Kassab também registrou uma queda (11,7%), mas nos quatro anos seguintes da gestão Kassab ocorreu um aumento de 112,1% com gastos com publicidade. O estudo também aponta que, no período entre 2003 a 2016, a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (2009-2012) possui a maior média de gastos com publicidade (R$ 148,4 milhões liquidados, em valores reais).
grafico
Na prática, independente da finalidade, o prefeito João Doria Jr. mais que triplicou o dinheiro que será gasto com a mídia, aumentando a expectativa de arrecadação com multas de trânsito, apontando a contradição no discurso eleitoral do chefe do Executivo, que defendeu o aumento da velocidade nas marginais e a redução no número de radares para acabar com o que chamou de indústria da multa.
fonte: Liderança do PT

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here