Petistas acionam a Justiça contra o aumento da passagem de ônibus

0
910

A Liderança do PT na Câmara Municipal de São Paulo protocolou ação judicial de emergência neste sábado, 7/1, solicitando a revogação do reajuste da tarifa do Bilhete Único Mensal. A ação, que vinha sendo construída ao longo da semana, acompanha a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que suspendeu os reajustes nas tarifas de integração entre Metrô, trens e ônibus, em resposta a outra ação judicial, essa proposta pela Bancada do PT na Assembleia Legislativa.
Apesar do congelamento da tarifa básica, o prefeito João Doria Jr. (PSDB) anunciou um aumento de 35,7% na modalidade mensal, a partir de domingo, 8/1. Com o reajuste imposto pelos tucanos, somente ao usuário que fizer mais de 51 viagens por mês vai compensar utilizar a tarifa mensal, que vai aumentar dos atuais R$ 140 para R$ 190 nos ônibus e de R$ 230 para R$ 300 na integração entre ônibus e o sistema de trens e Metrô.
“A discriminação parece ser injusta pois a medida é mais benéfica a quem reside em locais mais centrais e se utiliza apenas do metrô, cuja tarifa básica foi mantida, mas revela-se gravosa a quem reside em locais mais distantes e se utiliza do trem e do metrô, cuja tarifa integrada foi aumentada acima da inflação”, disse o juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho na decisão liminar sobre ação dos petistas da Alesp, na última, sexta-feira, 6/1.
Em nota, o Líder da Bancada do PT, vereador Antônio Donato, criticou a medida. “Dória e Alckmin optaram pela lógica perversa de desarticular viagens e encarecer o serviço para uma parte da população, justamente a que mais usa o transporte público, invertendo a política de mobilidade adotada nos últimos quatro anos, que sempre teve o papel primordial de estimular o uso do transporte público.”

O pedido liminar proposto proposto por Donato, que solicita a imediata revogação do aumento para evitar prejuízos aos paulistanos, aguarda deliberação do Judiciário. As novas tarifas, no entanto, já estão em vigor, inclusive as da integração com o transporte sobre trilhos, porque o governo do Estado de São Paulo alega não ter sido notificado.

fonte: Liderança do PT

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here