Prefeitura de São Paulo descumpre meta do Programa Nacional de Alimentação Escolar

0
673

Na última quinta-feira, 18/08, o TCM-SP (Tribunal de Contas do Município de São Paulo) publicou a decisão que identificou, por unanimidade, irregularidades nas práticas gerenciais de aquisições de produtos provindos da agricultura familiar para merenda escolar para atendimento ao Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE e à Lei Federal 11.947/2009.

A bancada do PT, acompanhando a execução do PNAE no município, protocolou em maio/2021, um representação junto ao Ministério Público que solicitou a instauração de inquérito civil.  O objetivo era investigar a ocorrência dos fatos citados no Relatório de Auditoria do TCM-SP.

Auditoria do TCM-SP

Na época, a auditoria do TCM-SP constatou que houve descumprimento ao artigo 14 da Lei Federal nº 11.947/2009 por parte da Secretaria Municipal de Educação (SME). Nos exercícios encerrados de 2018 e 2019, do total dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), foram gastos, respectivamente, 26,2% e 26,8%, abaixo do mínimo estabelecido de 30% na aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural ou de suas organizações.

Outro aspecto preocupante é a infringência ao art. 29 da Resolução FNDE nº 26/2013, que se refere à realização de pesquisas de mercado para formação dos preços de aquisição de gêneros alimentícios, constatada em Chamadas Públicas realizadas nos anos de 2018 e 2019.

O artigo estipula regras para determinação do preço de aquisição de gêneros alimentícios, o que engloba pesquisa de preços de mercado local, territorial, estadual ou nacional, nessa ordem e conforme o caso, além de diversos outras diretrizes e critérios específicos, o que não foi plenamente observado pela Secretaria Municipal de Educação – SME/PMSP, conforme Auditoria realizada no âmbito do Tribunal de Contas do Município de São Paulo – TCM-SP.

O TCM-SP determinou que a Secretaria Municipal de Educação: 

  1. Aplique os parâmetros da Resolução FNDE 26/2013 para pesquisas de preços em Chamadas Públicas de agricultura familiar
  2. Que utilizem recursos repassados pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE; e 3º Atinja a meta de utilização de 30% dos recursos repassados pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, com aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar e atenda aos requisitos do PNAE de mapeamento específico dos produtos da agricultura familiar.

Bancada do PT fiscaliza

Desde o início da era PSDB/MDB à frente da cidade de São Paulo, a bancada do PT vem alertando e denunciando a falta de planejamento e sérios problemas na execução do orçamento.

As ações, e inações, das gestões impactam negativamente na devolução de serviços públicos com qualidade social à população paulistana, situação que foi agravada pelo cenário pandêmico.

Entre as incontáveis questões que impactaram duramente o ensino municipal podemos mencionar: problemas com contratos de limpeza das unidades escolares, o não funcionamento adequado dos 12 novos Centros de Educação Unificados – CEUs, que até o momento nem os cargos de gestão foram criados.

Os munícipes ainda enfrentam contratempos com infraestruturas e reformas de escolas, falta de profissionais da educação, problemas com o uniforme escolares, salas digitais que não saíram do papel e não entrega, falta de manutenção de tablets e impossibilidade de acesso à internet pelos alunos em meio à pandemia da Covid-19.

Há dinheiro em caixa 

Mesmo com mais de 30 bilhões em caixa, a prefeitura não executou de forma adequada nem os 25% do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). 

Tal descumprimento demonstra a total falta de planejamento da Secretaria Municipal de Educação, com empenhos desesperados no final do exercício, que não foram suficientes para o cumprimento da exigência legal. 

Em dezembro/2021, foram empenhados R$ 5,1 bilhões, sendo que no último dia do ano foram empenhados R$ 3,3 bilhões, manobra contábil já reconhecida pelo próprio TCM. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!