Vereadores aprovam a prorrogação da Renda Básica Emergencial

0
1319
São Paulo, 24 de fevereiro de 2021. Sessão Plenária Extraordinária. Foto: Afonso Braga | Tratamento: André Moura / Rede Câmara

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, em segunda votação, na noite de quarta-feira, 24, o Projeto de Lei (PL) 55/2021 que prorroga a Renda Básica Emergencial por mais três meses. A proposta encaminhada à Câmara pelo Executivo no início de fevereiro recebeu 53 votos favoráveis e nenhum contrário.

Após inúmeras tentativas da Bancada do PT para incluir a ampliação do benefício ao texto-base, o projeto foi aprovado sem a possibilidade de incluir mais famílias como beneficiárias e estender o período de concessão do valor, enquanto perdurar a situação de emergência decorrente da pandemia do coronavírus (COVID-19) e não apenas por três meses, conforme apresentado pelo prefeito tucano.

A medida que concede R$100 para moradores da capital cadastrados em programas sociais e de transferência de renda deve beneficiar mais de 1,287 milhão de munícipes durante a pandemia.

Os beneficiários são famílias de São Paulo cadastradas no Bolsa Família, vendedores ambulantes que tenham o TPU (Termo de Permissão de Uso), documento da Prefeitura que permite a atuação desses e trabalhadores cadastrados no Tô Legal, programa municipal que regulariza a atividade de comércio ou prestação de serviços nas ruas da cidade.

A Câmara possibilitou a inclusão de uma proposta do vereador Antonio Donato (PT) ao projeto, que permite a compra de vacinas, caso o governo federal não forneça a quantidade necessária. 

BANCADA DO PT SE POSICIONOU PELA AMPLIAÇÃO DO BENEFÍCIO

Além de propor a extensão do benefício para todo o estado de emergência, as iniciativas da Bancada do PT também cobram a atuação da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social na busca ativa para cadastro de pessoas em situação de necessidade, que se enquadrem no perfil do Cadastro Único do Governo Federal. 

A matéria também ressalta a importância da Secretaria publicar eletronicamente um balanço bimestral da composição do Cadastro Único e as ações tomadas em sua administração.

O substitutivo apresentado viabilizaria a inclusão dos beneficiários do Programa Bolsa Família incorporados ao programa entre 30 de setembro de 2020 e a data de aprovação da lei. Também busca incorporar cidadãos habilitados pelo CadUnico e que constam na fila para ingresso no Programa Bolsa Família e demais beneficiários de programas sociais titulares da Conta Poupança Social digital da Caixa Econômica Federal. 

Entre outros itens, indica-se a criação de uma comissão que seria responsável por articular e integrar as políticas sociais municipais e de outros níveis de governo para oferecer atendimento às famílias beneficiárias do Programa, caminhando para a implementação de uma Renda Básica de Cidadania – RBC. 

Confira AQUI todas as ações dos vereadores do PT no combate à crise do coronavírus (COVID-19).

PROJETO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

O projeto apresentado pelo Executivo foi baseado no PL 620/2016, do Prefeito Fernando Haddad, que visava criar a Renda Básica de Cidadania, a proposta foi adaptada para uma renda emergencial no PL 207/2020, de autoria do Vereador Eduardo Suplicy, que originou o projeto encaminhado pelo prefeito.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!