Aumento abusivo de IPTU aos mais pobres é aprovado na Câmara

0
1710

Nesta sexta-feira, 26/11, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou em segunda e definitiva votação, com posicionamento contrário da bancada do PT, o aumento abusivo no reajuste do IPTU na cidade de São Paulo. 

O Projeto de Lei nº 685/2021, de autoria do Executivo, dispõe sobre a Planta Genérica de Valores, alterações na legislação tributária municipal, Contragarantias em Operações de Crédito e Fundo Especial para a Modernização da Administração Tributária e da Administração Fazendária no Município.

Durante os debates, o governo insistiu em ressaltar as travas de reajuste, as atuais de 10% ou a sugerida pelo IPCA, mas evita o fato incontestável e extremamente preocupante: a matéria aumentará o IPTU dos cidadãos e cidadãs mais pobres.  

Bancada do PT diz NÃO às injustiças sociais

No encaminhamento de votação, o líder da bancada do PT, o vereador Eduardo Suplicy, destacou o impacto da proposta regressiva da Prefeitura de São Paulo “Em relação ao IPTU estamos alterando a sua base de cálculo, que conhecemos como Planta Genérica de Valores, tanto o projeto inicial como o substitutivo apresentado fazem uma alteração em caminho oposto a redução de desigualdade, ao aumentar em 89% o valor venal de imóveis na periferia enquanto uma casa com mais de 700m2 no centro terá um desconto de 5,3%”, afirmou.

Confira o reajuste em diversos cenários:

COSIP (taxa de iluminação pública)

Além de aumentar de forma abusiva a base de cálculo do IPTU, a Prefeitura concretiza outro ataque à população: o aumento taxa de iluminação pública (COSIP – Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública).

A matéria cria uma tabela progressiva da taxa, variando entre R$ 3,50 (valor atual) a R$ 570,31 para consumidores residenciais. O quadro destaca mais um aumento exorbitante da gestão Nunes, chegando aos espantosos 16.194%.

Ao consumidor não residencial, os valores aplicados são de até R$ 1.139,26, com aumento previsto de 10.356%, promovendo um aumento considerável na arrecadação.

Confira:

Confira: PT apresenta substitutivo e emendas para melhoria do PL

Durante as discussões da matéria em plenário, os vereadores e vereadora do PT destacaram suas preocupações, principalmente sobre o descaso da Prefeitura de São Paulo em relação aos munícipes que serão obrigados a arcar com reajustes de grandes proporções.

De iniciativa do Partido dos Trabalhadores, cinco emendas e um substitutivo foram apresentados. O substitutivo de autoria coletiva dos parlamentares do PT buscou recalcular as tabelas de forma progressiva e incluir um artigo para definir regras para o cálculo dos preços públicos relativos à atividade de ambulantes na cidade de São Paulo.

Confira:

Substitutivo Final  – Restringe o texto às questões relativas à Planta Genérica, deixando de fora os aspectos fiscais, recalcula as tabelas de forma progressiva e acresce artigo que estabelece regras para o cálculo dos preços públicos relativos à atividade de ambulante. 

Emenda 1 – Recalcula as tabelas de forma progressiva, com reajustes menores nas zonais fiscais periféricas e aos imóveis com menor área construída.

Emenda 2 – Suprime o artigo que cria novas exigências para concessão de isenção para proprietários com renda de até 3 salários-mínimos.

Emenda 3 – Reduz a alíquota de ISS para 2% para 4 itens de atividade que registraram redução da atividade econômica acima de 25% em decorrência da pandemia.

Emenda 4 – Suprime a possibilidade de anistia de 70% dos débitos tributários de entidades educacionais sem fins lucrativos.

Emenda 5 – Suprime os artigos 35 e 36 que desobrigam o recolhimento de ISS de organizações sociais em contratos com o Poder Público.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!