Nota de pesar – Nelson Sargento

0
900

NOTA DE PESAR – NELSON SARGENTO

Imagem: Edinho Alves / Divulgação

Foi com imenso pesar que a Bancada do PT recebeu a notícia do falecimento do grande representante do samba, Nelson Sargento, reconhecido por seus trabalhos como cantor, compositor, pesquisador, artista plástico, ator e escritor. 

Mais uma perda da implacável Covid-19, Nelson era presidente de honra da Mangueira e compôs o clássico “Agoniza, mas não morre”, que relembramos com imensa saudade em meio à uma realidade que presenciamos pessoas agonizando e morrendo diariamente. 

Nascido na região central do Rio de Janeiro, Nelson Mattos recebeu o apelido de “Nelson Sargento” após sua breve passagem pelo Exército Brasileiro.

Nos anos 60, Sargento integrou o grupo A Voz do Morro, ao lado de Paulinho da Viola, Zé Kéti, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, José da Cruz e Anescarzinho.

Podemos mencionar figuras históricas que estiveram entre seus parceiros de composição musical, por exemplo, Cartola, Carlos Cachaça, Darcy da Mangueira, João de Aquino, Pedro Amorim, Daniel Gonzaga e Rô Fonseca.

Sua passagem pelo o universo cinematográfico incluiu os filmes “O Primeiro Dia”, de Walter Salles e Daniela Thomas, “Orfeu” de Cacá Diegues, e “Nélson Sargento da Mangueira” de Estêvão Pantoja, que lhe garantiu a premiação do Kikito, no Festival de Gramado, pela melhor trilha sonora entre os filmes de curta metragem.

Nelson criou onze filhos e vários netos e bisnetos em seus gloriosos 96 anos. Manifesto nossos sentimentos e condolências aos familiares e amigos em um momento tão delicado de dor.

Nelson Sargento, PRESENTE!

Liderança da Bancada do PT
CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

São Paulo, 27 de maio de 2021

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!