Nota de pesar – Nelson Sargento

0
96

NOTA DE PESAR – NELSON SARGENTO

Imagem: Edinho Alves / Divulgação

Foi com imenso pesar que a Bancada do PT recebeu a notícia do falecimento do grande representante do samba, Nelson Sargento, reconhecido por seus trabalhos como cantor, compositor, pesquisador, artista plástico, ator e escritor. 

Mais uma perda da implacável Covid-19, Nelson era presidente de honra da Mangueira e compôs o clássico “Agoniza, mas não morre”, que relembramos com imensa saudade em meio à uma realidade que presenciamos pessoas agonizando e morrendo diariamente. 

Nascido na região central do Rio de Janeiro, Nelson Mattos recebeu o apelido de “Nelson Sargento” após sua breve passagem pelo Exército Brasileiro.

Nos anos 60, Sargento integrou o grupo A Voz do Morro, ao lado de Paulinho da Viola, Zé Kéti, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, José da Cruz e Anescarzinho.

Podemos mencionar figuras históricas que estiveram entre seus parceiros de composição musical, por exemplo, Cartola, Carlos Cachaça, Darcy da Mangueira, João de Aquino, Pedro Amorim, Daniel Gonzaga e Rô Fonseca.

Sua passagem pelo o universo cinematográfico incluiu os filmes “O Primeiro Dia”, de Walter Salles e Daniela Thomas, “Orfeu” de Cacá Diegues, e “Nélson Sargento da Mangueira” de Estêvão Pantoja, que lhe garantiu a premiação do Kikito, no Festival de Gramado, pela melhor trilha sonora entre os filmes de curta metragem.

Nelson criou onze filhos e vários netos e bisnetos em seus gloriosos 96 anos. Manifesto nossos sentimentos e condolências aos familiares e amigos em um momento tão delicado de dor.

Nelson Sargento, PRESENTE!

Liderança da Bancada do PT
CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

São Paulo, 27 de maio de 2021

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here