Prefeitura de São Paulo presta contas do orçamento municipal

0
1411
Foto: Danilo Meira/CMSP

A Comissão de Finanças de Orçamento realizou a 8º audiência pública na última quarta-feira (29/04) que analisou as contas municipais no primeiro quadrimestre deste ano.

Os números  apresentados demonstram que a Prefeitura de São Paulo se encontra em excelente capacidade financeira e orçamentária. A arrecadação de impostos afasta qualquer discurso sobre crise financeira nas contas municipais, o primeiro quadrimestre registrou aumento de 12,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, de R$ 18,9 bilhões para R$ 21,3 bilhões.

Os principais impostos municipais continuam crescendo a dois dígitos, o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) com aumento de 13,0%, o ISS (Imposto Sobre Serviços) em 10,8% e o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) com excepcional crescimento de 24,0%. Outro ponto de extrema relevância ocorreu com o crescimento de 147,7% com outorga onerosa. O forte crescimento do ITBI associado ao aumento de receita com outorga onerosa indicam uma retomada do setor imobiliário, que pode refletir na construção civil nos próximos meses.

A receita incomum com depósitos judiciais (R$ 297 milhões) contribui para reforçar o caixa da Prefeitura Municipal, no ano anterior os valores arrecadados foram de apenas  R$ 1 milhão. Outra receita que vem ganhando destaque no orçamento municipal é referente à delegação de serviços públicos, especialmente à oriunda de créditos de quilômetros pagos pelas OTTCs (Operadores de Tecnologia de Transporte Credenciadas), pagos pelos aplicativo de mobilidade urbana na cidade de São Paulo, como Uber e afins. A arrecadação saltou de R$ 19 milhões no primeiro quadrimestre de 2017 para R$ 56 milhões em 2019.

Enquanto as receitas aumentaram em dois dígitos as despesas continuam registrando taxas abaixo de 10%, a variação no primeiro quadrimestre foi de apenas 8,8%. Isto explica a queda de 20,6% do investimento, a gestão Doria/Covas deve fechar com a menor taxa de investimento dos últimos anos. Os investimentos com obras, compra de equipamentos e  aquisição de imóveis encontram-se em patamar baixíssimo, com queda 20,6% em relação ao ano anterior.

A alta arrecadação com o baixo investimento gera uma situação incompreensível aos paulistanos, o caixa da prefeitura bate recorde, com um saldo financeiro de R$ 12 bilhões, enquanto a população sofre com a ausência de serviços e situações calamitosas na periferia da cidade.

Confira abaixo os gráficos e tabelas com as principais informações financeiras referente as receitas e investimentos do primeiro quadrimestre de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!