Tarcisio mentiu no debate da Globo! Haddad não deixou rombo nas contas públicas

0
3241

Tarcisio mentiu no debate da Globo! Haddad não deixou rombo nas contas públicas. O Secretário da Fazenda do PSDB e o Tribunal de Contas afirmaram que as contas estavam equilibradas.

Caio Megale, então Secretário da Fazenda, destacou inúmeras vezes o equilíbrio financeiro das contas de 2016, como também publicou artigo no Jornal Folha de São Paulo afirmando a regularidade das contas do exercício anterior, como verificado no trecho em destaque:  

Todas as contas do prefeito Haddad foram aprovadas. Abaixo o parecer do Tribunal de Contas do Município que aprovou as contas do Prefeito Haddad em 2016. 

PARECER: “Vistos, relatados e discutidos estes autos relativos às Contas e ao Balanço Geral da Prefeitura do Município de São Paulo – PMSP, exercício de 2016. Considerando que, diante do panorama nacional de desequilíbrios fiscais de diversos entes Federativos, o Município de São Paulo apresenta um quadro fiscal de normalidade e equilíbrio, reflexo do dinamismo do tecido econômico local, gerando receitas tributárias consistentes, e de uma trajetória de responsabilidade fiscal das instituições municipais, incluindo a atuação do Controle Externo, destacando-se a necessidade de atenção para manutenção do equilíbrio econômico no município, levando-se em conta, também, as dificuldades econômicas ainda enfrentadas pelo país; Considerando que restou evidenciado o cumprimento das disposições constitucionais e legais que norteiam a execução orçamentária; o cumprimento dos limites e condições de aplicação de recursos públicos nas áreas da Educação e Saúde; diante do cumprimento das normas condizentes com uma gestão fiscal responsável, com observância dos limites e condições fundamentais estabelecidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal; e, destacando que as infringências e impropriedades constatadas pelos Órgãos Técnicos não se mostram com relevância suficiente para comprometer ou distorcer os resultados das Contas apresentadas, O TRIBUNAL DE CONTAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, no exercício de sua mais alta atribuição, como órgão integrante do sistema de fiscalização financeira e orçamentária, conferida pelo artigo 71, inciso I, da Constituição Federal, combinado com o artigo 48, inciso I, da Lei Orgânica do Município, e nos artigos 31, parágrafo único, inciso V, e 72, ambos do Regimento Interno desta Corte, decide, à unanimidade, pelos votos dos Conselheiros Maurício Faria.” 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!