Mães questionam venda de terreno de EMEI

0
1961

Atualizado em 24 out. 2019, 16h38 | Edição: Debora Pereira

A Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de São Paulo recebeu nesta quarta-feira, 23, a presença de duas mães da comunidade próxima à Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Gabriel Prestes, Andréa Zeppni e Luana Copini. Elas questionaram a aprovação do Projeto de Lei que autoriza a venda do terreno em que a unidade de ensino está instalada.

O vereador Jair Tatto (PT), vice-presidente do colegiado, aproveitou o espaço da reunião para salientar o trabalho pedagógico que os educadores da EMEI Gabriel Prestes realizam, inclusive fora da escola, por meio de visitas pelo bairro com as crianças e exibiu um vídeo mostrando a repercussão na mídia das boas práticas da escola pública.

É importante ressaltar que no mesmo dia em que o projeto da venda do terreno foi aprovado uma das professoras da unidade vencia o concurso Professor em Destaque, promovido pela Secretaria Municipal de Educação (SME), e as crianças participavam de atividades culturais e educativas em espaços públicos da cidade na Virada Educação 2019.

Atualmente com 210 crianças matriculadas, o equipamento está localizado em um terreno com mais de três mil metros quadrados no bairro da Consolação, região central do município.

ENTENDA O CASO

No último dia 16, a Câmara aprovou o 611/2018, que autoriza a desestatização de 41 terrenos públicos. A Bancada do PT registrou voto contrário a este PL 611/2018 e chegou a apresentar um substitutivo para suspender as desestatizações, mas o texto foi rejeitado pelos vereadores da base governista. O texto foi sancionado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) na sexta-feira, 18

LEAVE A REPLY

Or
Please enter your comment!
Please enter your name here